Postagem em destaque

PROPOSTAS E MODELOS - ENEM 2016

TODAS AS PROPOSTAS E MODELOS RELACIONADOS NESTA POSTAGEM SÃO DO AUTOR DO BLOG E NÃO PODEM SER COMERCIALIZADOS EM MATERIAL DIDÁTICO VIRTUAL ...

2 de nov de 2008

COESÃO: Contra chatice e monotonia

Quando uma pessoa repete várias vezes a mesma história, as mesmas frases ou palavras, acaba ficando com fama de chata. Essa repetição exagerada comumente denota falta de repertório ou vocabulário e, além de criar desinteresse por parte do receptor, gera certa monotonia evocadora de bocejos mal disfarçados ou bem escancarados.
Recorramos a um exemplo prático:
"Textos com excesso de repetição de idéias ou palavras causam incômodo. O incômodo se deve à monotonia causada pelo excesso de repetição. O incômodo tem como conseqüência: desvio de atenção do receptor em relação ao que é expresso... Se o excesso de repetição for sanado, o incômodo também será sanado, assim não haverá mais o desvio de atenção do receptor em relação ao que é expresso nesses textos."
O conteúdo é prejudicado pela mesmice, como que por um eterno refrão. Para evitar isso, entretanto, existem recursos eficazes para manter a idéia principal em evidência, ou seja, a coesão, sem que se crie um "samba de uma nota só" (nada contra Vinícius, Tom Jobim e companhia). Alguns desses recursos são os pronomes, a própria omissão de termos (Elipse e Zeugma) e a substituição de palavras por sinônimos, hiperônimos ou hipônimos.
Utilizando esses recursos temos:
"Textos com excesso de repetição de idéias ou palavras criam uma atmosfera monótona, cujo incômodo tem como conseqüência o desvio de atenção por parte do receptor. Uma vez sanado esse problema, seus efeitos desaparecem."
Repare como o trecho acima ficou mais conciso e agradável ao leitor. Isso é o que se chama "enxugar" um texto.Veja outros exemplos:
a) Marcos se dirigia à casa de seus avós. Marcos estava feliz por rever seus avós.
Marcos se dirigia à casa de seus avós, ele estava feliz por revê-los. (uso de pronomes)
b) Ele viajou de carro, ele percebeu que o carro não agüentaria...
Ele viajou de carro, percebeu que o veículo não agüentaria... (omissão do termo/ uso de hiperônimo)
Obs.: Hiperônimos são palavras abrangentes em seu significado. Ex.: veículo serve para: carro, avião, bicicleta, carroça etc. Hipônimos, pelo contrário, têm o significado mais restrito. Jato pode ser um hipônimo de avião.



O uso de pronomes relativos também pode economizar algumas palavras, evitando repetições:
a) Ele contou o segredo àqueles homens. Aqueles homens tem filhos que são advogados.
Ele contou o segredo àqueles homens cujos filhos são advogados.
b) Eu vivo nesta cidade. Esta cidade é uma metrópole.
A cidade na qual (em que) (onde) vivo é uma metrópole.
c) Eu cheguei a algumas conclusões. Essas conclusões são muito importantes.
Algumas conclusões a que (às quais) cheguei são muito importantes.
__________________________________
Portanto, contra chatice e monotonia...
Exercite o uso desses pronomes: Exercícios.

2 comentários:

Luciene disse...

Sua orientação foi preciosa! Achei incrível a idéia de seu blog. Farei os exercícios para melhorar a monotonia de meus textos. Parabéns!!!

Leonardo disse...

Obrigado, Luciene!

Fico feliz por ter sido útil.
Esteja à vontade para postar dúvidas e comentários.

Abraços!

QUIZ: POR QUE OU POR QUÊ?

Havendo dificuldade em visualizar o quiz, clique no link abaixo: